Insights

Um olhar sobre o Brasil: sozinhos sim, mas com sofisticação
Artigo

Um olhar sobre o Brasil: sozinhos sim, mas com sofisticação

No Brasil, pessoas que vivem sozinhas tendem a consumir produtos mais caros, segundo apontou uma análise feita com base nas informações do Consumer Panel Service, que no país possui uma amostra de 8.240 domicílios, representando 45 milhões de lares, representando 92% do consumo das famílias brasileiras. 

A análise feita pela equipe Nielsen Brasil revelou que os lares que têm indivíduos morando sozinhos gastaram 36% a mais do que a média no Brasil no consumo de Sobremesas Prontas. Outro exemplo ainda mais expressivo ocorre na categoria Suco Concentrado, onde o percentual de consumo é 39% maior que a média nacional.

O que chama a atenção é que esse consumidor, que mora sozinho, vai menos vezes ao ponto de vendas para realizar suas compras.  Enquanto o consumidor que mora sozinho vai cerca de 81 vezes ao ponto de vendas por ano, a média dos demais lares brasileiros é de 119 vezes ao ano. Esses consumidores sozinhos também têm um ticket médio menor que a média nacional, de R$ 10,76 contra a média de R$ 13,52.

Indústria e varejo devem estar atentos a esse consumidor, que mesmo indo menos às compras, comprando menos que a média, ainda assim é um público mais seletivo, que busca valor agregado e produtos mais sofisticados em suas compras.

E onde estão eles?  A análise da Nielsen Brasil mostrou que os 2,3 milhões de lares de pessoas que moram sozinhas se concentram na Grande São Paulo, em Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro.  Para esses lugares, outras categorias consideradas sofisticadas, como Café Solúvel ou Antisséptico Bucal, podem ter desempenho diferenciado junto a esse público, pois hoje representam apenas 28% e 19% do consumo vindo dos lares “sozinhos”, no último ano, respectivamente.