Insights

Homens às compras
Artigo

Homens às compras

Não é mais novidade que as mulheres estão batendo um bolão no mercado de trabalho, ocupando posições cada vez mais estratégicas no mundo corporativo e passando a ter cada vez menos tempo para se dedicar às atividades domésticas. Mas qual é o impacto disso no cenário de consumo e no varejo?

A Nielsen está antenada nessas tendências e observou que, a presença da mulher no mercado de trabalho exigiu do homem um novo posicionamento no lar. Isso afetou diretamente o perfil das pessoas que frequentam os supermercados, hoje o público masculino representa um terço da clientela supermercadista, mais que o dobro do registrado há 30 anos.

A migração de jovens de cidades do interior para estudar nos grandes centros e a crescente incidência de pessoas que optam por morar sozinhas também refletem diretamente na maior participação dos homens nesses ambientes.

Um dado que confirma a expansão do posicionamento deste público é que 37% da categoria de higiene pessoal é consumida pelo público masculino. Os dados do nosso Painel de Consumidores revelam que produtos versáteis e compatíveis com a vida agitada são cada vez mais requisitados, pois este público não gasta dinheiro se o benefício não for percebido, nem costuma testar produtos.

E como os fabricantes devem se organizar para atender as demandas desse  novo modelo de consumidor? Observamos que a compra é determinada pela identificação do benefício do produto, ou seja, investir em embalagens mais assertivas acerca do desempenho e eficácia do produto é fundamental para atingir esse shopper.

O desafio também está lançado para o varejo, que deve se adaptar a esse novo consumidor, que necessita não apenas se localizar no ponto de venda (PDV), como também entender qual é a finalidade de todos os produtos disponíveis. Dispor produtos da mesma cesta próximos uns dos outros, como por exemplo, lâminas de barbear, sabonetes e desodorantes, é uma estratégia interessante para otimizar a visita desse novo shopper ao PDV.