Insights

Nielsen reúne craques no maior palco do esporte brasileiro
Artigo

Nielsen reúne craques no maior palco do esporte brasileiro

Em maio de 2014 a Nielsen escalou os principais patrocinadores da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos Rio 2016, além de agências e empresas relacionadas ao mundo do esporte para entrar em campo no Maracanã.

Os legados que os eventos esportivos deixarão para o Brasil e como a Copa do Mundo e as Olímpiadas podem contribuir para o crescimento das empresas, da mídia e, principalmente, dos patrocinadores foram os temas que deram o pontapé inicial ao debate.

“A parceria com os eventos esportivos advém do comprometimento com o legado que o esporte pode trazer para a sociedade brasileira – o legado da transformação.” Iniciou a partida, Fábio Dragone, responsável pelo Patrocínio dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e pela estratégia de Marketing de Esportes do Bradesco.

Ele passou a bola para Michel Davidovich, Vice-Presidente e Gerente Geral para a Copa do Mundo da FIFA 2014 na Coca-Cola, que comentou sobre como as marcas podem atuar de forma holística, oferecendo muito mais do que uma simples ferramenta de marketing. “Trata-se de uma ferramenta de negócio, que inclui resultados diretos e indiretos. O legado social, por exemplo, é um resultado indireto e a Coca-Cola, por sua vez, trabalha essas duas visões de formas distintas, mas integradas: a visão do marketing, da conexão e inclusão do consumidor – como o Tour da Taça da Copa do Mundo – e a visão dos legados sociais”.

Assumindo a jogada, João Palomino, um dos craques do mercado de esportes no Brasil e representante da emissora ESPN, lançou que a importância de grandes eventos para fomentar a percepção de que a marca é indispensável para o fã de esportes, “eles são uma oportunidade de provocar e intensificar o conceito de multiplataforma, que é uma tendência crescente”.

De olho no lance e na mesma linha de Davidovich, Ricardo Trade, Diretor Executivo de Operações e Competições do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, lembrou que outro grande impacto da realização da Copa no futebol brasileiro é a melhoria da infraestrutura, que permanecerá, diferentemente da estrutura para os Jogos Panamericanos. “Uma boa estrutura também trará benefícios para os negócios, fazendo com que o evento se torne um produto mais “vendável”, mais encapsulado e organizado para negociação lá fora”.

O Diretor de Relacionamento com Patrocinadores do Rio 2016, Henrique Leal, finaliza essa jogada comentando que a infraestrutura é a parte visível do legado, mas, “além disso, o programa dos Jogos Olímpicos, os programas culturais, educacionais, de sustentabilidade e de voluntários são exemplos de iniciativas que deixarão um legado social muito grande, inspirando também muita gente.

Os desafios trazidos por esses eventos também foram pauta no debate. Eduardo Zebini, Senior Vice-Presidente da Fox Sport Brasil, afirma ser a Copa do Mundo uma grande oportunidade para o mercado, que exige cada vez mais. “500 veículos de peso do mundo todo e 18.800 mil jornalistas estarão presentes no evento, portanto, estar fora dessa festa significa não oferecer aquilo que as pessoas estão procurando, já que esse número de profissionais representa a dimensão do interesse da mídia mundial nesse evento”, afirma.

Henrique Leal, volta ao campo, complementando que “saber lidar com a imprensa, com o governo, com o patrocinador e com a pressão externa que a Copa está vivendo atualmente é um desafio para todos”. Entretanto, Leal afirma que se os Jogos forem entregues com excelência, será uma forma de capacitar e deixar todos os colaboradores prontos para lidar com outros projetos tão complexos quanto a organização dos Jogos Olímpicos.

Finalizando a partida de sucesso no Maracanã, o Head of Research&Insights for Rio 2016 da Nielsen, David Lucas, lembra que a experiência com as Olimpíadas de 2012, em Sochi, abriu muitas portas, novos clientes e oportunidades, como a atual parceria com a FIFA. A missão da Nielsen Sports nessa empreitada é auxiliar os clientes a maximizar o retorno de investimento e engajar os colaboradores nos projetos para que estes se envolvam e se sintam parte de uma empresa parceira do comitê olímpico.

Os craques que estiveram no Maracanã marcaram um golaço referente aos legados que grandes eventos esportivos como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos resultam para o país, as marcas que aqui atuam e os brasileiros como um todos. Um país que vem ganhado grande visibilidade mundial! É hora de aproveitar a fase boa desse time que não para de crescer!