Insights

Consumidores latino-americanos demonstram caminhar com incerteza em 2015
Artigo

Consumidores latino-americanos demonstram caminhar com incerteza em 2015

Reflexo dos declínios de confiança dos consumidores vistos em todo o mundo, o sentimento na região da América Latina diminuiu três pontos no índice para 88 no quarto trimestre. A diminuição ocorreu em cinco dos sete países medidos.  O Peru foi o único país da região em que a confiança melhorou e manteve-se acima de 100 pontos da linha base de otimismo, subindo quatro pontos para 101. A leitura mais recente do Peru superou a pontuação do Brasil, que declinou seis pontos, chegando a 95 pela primeira vez desde 2011. Da mesma forma, México (85) diminuiu três pontos, Colômbia (94) e Chile (81) diminuíram quatro pontos cada, e Argentina (67) caiu um ponto. A pontuação da Venezuela (70) manteve-se estável em relação ao trimestre anterior.

A situação da região não é das melhores devido à diminuição das perspectivas de emprego em três dos sete países latino-americanos e ao declínio das percepções de finanças pessoais em todos os países, exceto Peru. Além disso, o sentimento de recessão aumentou sete pontos percentuais, tanto no Brasil (73%) e Chile (59%) – os níveis mais altos desde que a Nielsen começou a mensurar esse sentimento em 2008.

“O índice de confiança do Brasil é reflexo dos elevados níveis de incerteza sobre a situação econômica do país”, disse Luis Arjona, cluster leader, Nielsen Brasil. “Além dos níveis baixos de crescimento esperados em 2015, a inflação manteve-se acima das metas oficiais, e há uma preocupação crescente com o aumento das taxas de desemprego. Por outro lado, a equipe econômica recém-nomeada tomou medidas para restaurar a confiança, aumentando as taxas de juros para subjugar a inflação e prometendo restaurar a disciplina fiscal. Denúncias de corrupção na Petrobras, a maior empresa brasileira, e a queda acentuada dos preços do petróleo, contribuíram ainda mais para a incerteza em relação ao mercado ser o sentimento geral do consumidor. Pontuações de confiança do consumidor relativamente baixas devem permanecer em um futuro próximo, até que a região embarque em um caminho claro para a recuperação econômica.”

A insegurança do consumidor foi ainda refletida nas intenções de gastos discricionários, que mostraram o maior recuo de todas as regiões. Decréscimos de cinco pontos percentuais foram reportados para roupas novas (24%) e melhorias casa (15%), quatro pontos para nova tecnologia (16%), três pontos para economia (28%) e dois pontos para entretenimento fora de casa (30%). Quase um em cada cinco entrevistados (18%) disseram que não têm dinheiro de sobra, um aumento trimestral de dois pontos percentuais.

Outras conclusões do último relatório de Confiança do Consumidor incluem:

• A confiança na Índia aumentou para 129 pontos, o mais elevado de todos os países medidos.

• A confiança do consumidor norte-americano empatou com a região da Ásia-Pacífico pelo segundo trimestre consecutivo.

• Onze mercados subiram dois dígitos ano a ano no índice.

SOBRE A NIELSEN GLOBAL SURVEY

A Pesquisa Global Sobre a Confiança e Intenções de Gastos do Consumidor da Nielsen foi conduzida de 10 a 28 novembro de 2014 e entrevistou mais de 30.000 consumidores com acesso à Internet em 60 países na Ásia-Pacífico, Europa, América Latina, Oriente Médio, África e América do Norte. A amostra possui cotas de faixas etárias e sexo para cada país com base nos internautas de cada país e é ponderada para ser representativa dos consumidores com acesso à Internet, tendo uma margem de erro máxima de ±0,6%. Esta pesquisa da Nielsen se baseia apenas no comportamento de entrevistados com acesso à Internet. As taxas de penetração de Internet variam por país. A Nielsen utiliza um reporte padrão mínimo de 60% de penetração de Internet ou uma população de no mínimo 10 milhões de usuários de Internet para que o país seja incluído na pesquisa. O Índice de Confiança do Consumidor da China é compilado a partir de um levantamento isolado que utiliza metodologia mista conduzida com 3.500 entrevistados na China. Os países da África Subsaariana neste estudo são compilados a partir de um levantamento separado conduzido pela plataforma móvel entre 1.600 entrevistados em Gana, Quênia e Nigéria. A Pesquisa Global da Nielsen, que inclui o Índice de Confiança Global do Consumidor, foi estabelecida em 2005.