Insights

Livros de colorir aquecem faturamento de mercado literário em 2015
Artigo

Livros de colorir aquecem faturamento de mercado literário em 2015

Os livros de arteterapia, baseados em desenhos para colorir, têm provocado um alvoroço nas livrarias. Os títulos disponíveis chamam atenção pela quantidade e pela diversidade de estilos. Há  publicações dedicadas a  jardins, animais,  mandalas, pessoas e até figuras eróticas, o que chama cada vez mais a atenção dos consumidores.

Segundo um levantamento de Nielsen BookScan, em parceria com o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel), o mercado livreiro cresceu 8,83% em volume e 6,23% em faturamento comparado ao ano passado. E uma das razões para tal é a febre dos livros para colorir, que representam 14,08% da arrecadação do setor de não ficção neste ano, o único ramo de negócio que aumentou (15,1%). Todos os outros nichos tiveram uma performance não tão positiva: ficção, -5,5%, não ficção especializada, -10,5%, e infantil, juvenil e educacional, -3,8.

Na lista de dos cinco títulos mais vendidos no Brasil, três são livros de colorir. Isso indica que, se não fossem as obras para pintura, a realidade provavelmente seria diferente. A contribuição desses títulos é extremamente significativa para o mercado editorial, uma vez que sem eles o crescimento seria de 2,1%, ou seja, quatro pontos porcentuais a menos do que de fato aconteceu no acumulado do ano.

A pesquisa também mostra que o preço médio do livro caiu de R$35,06 para R$33,43, ainda que as livrarias estejam praticando menos descontos sobre o preço de capa das obras: 20,31% em maio de 2014 contra 15,20% no mesmo mês deste ano.

Sendo o primeiro serviço desse tipo no mundo, o Nielsen BookScan está presente em dez países e coleta os dados para a realização do painel de vendas diretamente no caixa das livrarias, do e-commerce e de outros varejistas. Quer saber mais? Entre em contato conosco!