Insights

Como os brasileiros usam seus recursos excedentes após cobrir as despesas essenciais?
Artigo

Como os brasileiros usam seus recursos excedentes após cobrir as despesas essenciais?

{“order”:4,”name”:”pubdate”,”attributes”:{“sling:resourceType”:”nielsenglobal/components/content/publishdate”},”children”:null}

Quitar dívidas, cartões de crédito e empréstimos (38%), bem como entretenimento fora do lar (36%), são as principais formas que os brasileiros encontram de gastar o dinheiro que sobra depois de cobrir seus gastos básicos, de acordo com o mais recente Estudo Global de Confiança do Consumidor realizado pela Nielsen, que mede a percepção de perspectivas de empregos locais, finanças pessoais e intenções imediatas de gastos.

Ainda que no quarto trimestre de 2015 quitar dívidas, cartões de crédito e empréstimos tenha baixado dois pontos, comparado com o trimestre anterior, a tendência de se livrar de pendências que apertam ainda mais o bolso se manteve na liderança durante todo o ano. Também houve baixa no entretenimento fora do lar, mas de sete pontos, ocupando assim o segundo lugar mais importante da lista dos entrevistados.

Gastos com roupas novas (26%), viagens/férias (26%) e produtos com nova tecnologia (20%) também lideram o ranking top 5 dos brasileiros. Comparado ao terceiro trimestre, roupas novas teve baixa de três pontos, viagens/férias aumentou um ponto e produtos com nova tecnologia permaneceu estável.

Um ponto a ressaltar sobre a cultura financeira dos brasileiros é a porcentagem dos entrevistados que declaram não ter dinheiro extra para gastar. No começo do ano apenas 10% optava por essa resposta, já no final, 16% não tinha recursos excedentes. 

Quanto aos latinos, os resultados gerais do estudo no final de 2015 mostram que quitar dívidas (35%) e poupar (30%) ocupam as duas primeiras opções de gastos.

Sobre a Pesquisa Global da Nielsen

A Pesquisa Global de Confiança do Consumidor e Intenção de Gastos da Nielsen foi realizada entre 2 a 25 de novembro 2015 e entrevistou mais de 30.000 consumidores online em 61 países em toda a Ásia-Pacífico, Europa, América Latina, Oriente Médio/África e América do Norte. Os resultados da América Latina incluem: Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, México, Peru e Venezuela. A amostra foi selecionada por cotas de idade e sexo para cada país com base em seus usuários de Internet e foi ponderada de modo a ser representativa para consumidores da Internet. A pesquisa tem uma margem de erro de ± 0,6%. A Pesquisa Global da Nielsen, que inclui o Índice de Confiança Global do Consumidor, foi criada em 2005.