Insights

Pela ótica de consumo, como foi o 1º semestre de 2016?
News

Pela ótica de consumo, como foi o 1º semestre de 2016?

{“order”:4,”name”:”pubdate”,”attributes”:{“sling:resourceType”:”nielsenglobal/components/content/publishdate”},”children”:null}

Após um período de queda e estabilidade, a Confiança do Consumidor volta a crescer, porém a renda continua apertada. De acordo com nosso estudo 360º do Consumidor, a renda das famílias voltaram ao patamar de 2011 e, se a tendência persistir, em 2020 representará 80% do rendimento médio dos países emergentes, frente aos 90% atuais.

Com esse contexto incerto, as Cestas Nielsen retraem 4,3% em volume até Setembro, com redução no ticket médio por compra. A cesta de Bebidas Alcoólicas e Não Alcoólicas foram as mais impactadas.
Olhando para o consumo dentro dos domicílios brasileiros, o Cash & Carry (Atacarejo) continua sendo o canal de destaque, conquistando 3,5 milhões de novos lares no último ano e aumentando em uma (1) ida seu número médio de viagens. Os demais canais começam a apresentar tímida recuperação, porém em proporções menores que os Atacarejos.

Dentro do carrinho de compras, o ticket médio por lar apresenta ligeira diminuição, porém sem redução no número de itens comprados, ou seja, a busca por promoções e menores preços continua fazendo parte da vida dos brasileiros. Com isso, há um aumento também na frequência de compras, já que os lares estão sempre atentos à boas opções de compra. Dessa forma, prevalece duas movimentações importantes das famílias:

1. Continua a busca pela compra de Abastecimento no Cash & Carry (Atacarejo) para garantir os itens importantes em casa durante o mês, incrementando assim o gasto com essa missão;
2. Aumento do número de ocasiões de compra de Reposição e Emergência nos canais menores, aproveitando, principalmente, as ofertas ou fazendo pequenas compras para complementar o que faltou na compra de Abastecimento.

Com isso, nota-seque a missão de Abastecimento tem cada vez mais garantido o gasto nas lojas, mas as compras de emergência garantem o fluxo de compradores.

A expectativa para 2016 continua sendo de retração, mas os lares começam a estabilizar suas compras e entender como se comportar durante a crise. Hoje, 60% dos líderes dos lares declaram que fazem outros cortes antes de trocar suas marcas preferidas por opções mais baratas, ou seja, ainda há oportunidade para todos.

Quer entender melhor como o consumidor está se comportando e como isso pode impactar seus negócios? Entre em contato com Aurelia Vicente ([email protected]) – Consumer Panel Services, Manager for Retailers.