Imprensa

25% da população brasileira acessa conteúdo esportivo na internet

Nesse cenário, cria-se um grande potencial para a internet como mídia complementar à TV, sobretudo com a possibilidade de assistir jogos ao vivo

Apesar de a TV aberta ser o principal meio de comunicação entre os públicos pesquisados, 49,5% deles estão dispostos a pagar por conteúdo esportivo

A audiência in loco também apresenta muitas possibilidades de crescimento, mesmo com algumas barreiras como o preço dos ingressos e a falta de divulgação

São Paulo, Brasil, fevereiro de 2012 – A Nielsen (www.nielsen.com), provedora global de informações e insights, por meio da Nielsen Sports, unidade de negócios que tem como objetivo entender e aproveitar as oportunidades do mercado esportivo, apresenta a segunda etapa da pesquisa “Ambiente Esportivo”, realizada em junho de 2011 com praticantes e não praticantes de esportes das principais cidades do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza, Salvador, Belém, Goiânia, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre).

Um dos grandes destaques que a pesquisa revela é que 25% da população brasileira acessa conteúdo esportivo pela internet, principalmente para conferir os resultados dos jogos e assistir os melhores momentos dos campeonatos. Os entrevistados também revelaram que se também houvesse transmissão ao vivo, eles acessariam.

“O interessante dessas constatações é perceber o grande potencial que existe para internet como mídia complementar à TV, especialmente com a possibilidade de assistir jogos ao vivo”, analisa Sérgio Pupo Filho, gerente da unidade de Nielsen Sports no Brasil.

Entretanto, as oportunidades não se restringem à internet, e apesar de a TV aberta ser o principal meio de comunicação entre os públicos pesquisados*, 48,5% deles estão dispostos a pagar por conteúdo esportivo, contra 49% que não pagariam e 2,5% que já pagam. E essa decisão depende mais diretamente da programação que do valor a ser desembolsado. Prova disso são os 17,8% dos entrevistados que afirmaram que pagariam se fosse um jogo muito importante. Além disso, 11% disseram que se o valor fosse mais barato que o pay-per-view também estariam dispostos a pagar pelo conteúdo.

“Mesmo com a predominância do futebol, observa-se interesse por mais opções de esportes, com destaque para natação, boxe e MMA entre os fanáticos e envolvidos, além de ginástica olímpica, com perfil mais feminino, para os simpatizantes”, pontua Pupo.

Audiência in loco – 49% da população brasileira já assistiu esportes in loco e assim como na mídia, futebol e vôlei também são os esportes com maior atratividade. MMA, F1 e natação apresentam um grande potencial, já que figuram entre os principais esportes com interesse desse tipo de audiência.

O preço dos ingressos e a falta de divulgação foram citados por, respectivamente, 41% e 28% dos entrevistados, como as principais barreiras para se assistir esportes pessoalmente.

*A Nielsen Sports diferencia este público entre fanáticos, envolvidos, simpatizantes e desinteressados.

Sobre a Nielsen

Nielsen Holdings N.V. (NYSE: NLSN) é uma empresa global de informações e mensuração com posições líderes em informações de mercado e de consumo, mensuração de audiência televisiva e de outros meios de comunicação, inteligência online, mensuração de plataformas móveis, feiras e setores relacionados. A Nielsen está presente em aproximadamente 100 países, com sedes em Nova York, EUA e Diemen, Holanda. Para maiores informações, por favor, acesse www.nielsen.com

Contato para imprensa

Versátil Comunicação Estratégica (www.versatilcomunicacao.com.br)
Mariana Vieira (mariana@versatilcomunicacao.com.br)
Sandra Takata (sandra@versatilcomunicacao.com.br)
Tel: (11) 2832-5505