Imprensa

Confiança do consumidor brasileiro permanece entre as 10 mais altas do mundo

Nos últimos 12 meses o Brasil registrou um aumento de 15 pontos no índice, chegando a 110

São Paulo, Brasil, maio de 2012 – A Nielsen (www.nielsen.com), provedora global de informações e insights sobre o que o consumidor assiste e compra, acaba de divulgar que a confiança do consumidor brasileiro, apesar de um declínio trimestral de dois pontos no índice, apresenta seu maior ganho na comparação ano sobre ano. A Pesquisa Global sobre Confiança do Consumidor e Intenções de Gastos do 1º trimestre do ano, realizada de 10 a 27 de fevereiro de 2012, demonstra que nos últimos 12 meses o Brasil registrou um aumento de 15 pontos no índice, chegando a 110. Esse número coloca o país entre os seis com os mais altos índices de confiança no mundo.

“No Brasil, a confiança do consumidor permanece a níveis altos, refletindo o otimismo da população, particularmente em comparação a outros vizinhos latino-americanos”, pontua Eduardo Ragasol, presidente da Nielsen Brasil.

A confiança geral do consumidor subiu em quase todas as regiões do mundo, somente na América Latina permaneceu inalterada, com 98 pontos. Entretanto, mesmo sem crescer, o índice coloca a região como a segunda mais confiante do mundo, atrás apenas da Ásia-Pacífico.  Além disso, os latinos também são os mais confiantes no quesito finanças pessoais. Os asiáticos são os mais otimistas em relação às perspectivas de emprego, e os norte-americanos os mais positivos com suas intenções imediatas de gastos.

Entre as seis maiores preocupações dos latinos, a estabilidade de emprego lidera o ranking com 18%. Economia, saúde, equilíbrio no trabalho e vida e a criminalidade são citados logo na sequência com respectivamente 11%, 8%, 11% e 9%. No Brasil, a maior preocupação é com equilíbrio entre trabalho e vida pessoal (16%) e com saúde (15%). A preocupação com a estabilidade de emprego aparece apenas depois, com apenas 9%.

Com relação à forma como utilizam seus recursos excedentes, os latinos seguem com a preocupação de quitar dívidas e empréstimos (32%), porém com índices menores em comparação aos outros trimestres. A segunda maior preocupação é o investimento em poupança, com 31%. O brasileiro, por sua vez, continua preocupado em quitar dívidas, com índice um pouco acima da média da região (34%), mas tem como 2ª maior intenção de gasto o entretenimento fora de casa, com 33%.

“Os brasileiros estão confiantes na economia e têm uma percepção positiva de suas finanças. Entretanto, os consumidores agora estão mais preocupados em quitar dívidas e empréstimos adquiridos no passado recente. Por isso, provavelmente reduzirão seus gastos nos meses à frente, à medida que o consumo no Brasil está mudando e os consumidores estão mais cuidadosos com as compras – uma tendência que é suportada pelos insights de varejo da Nielsen que mostram uma queda nas vendas em volume e um aumento nas vendas em valor”, finaliza Eduardo.

A Pesquisa Global sobre Confiança do Consumidor e Intenções de Gastos da Nielsen, estabelecida em 2005, acompanha a confiança do consumidor, principais preocupações e intenções de gastos entre mais de 28.000 consumidores com acesso à Internet em 56 países. Os níveis de confiança do consumidor acima e abaixo de uma de uma base de 100 indicam os graus de otimismo e Pessimismo.

Sobre a Nielsen

Nielsen Holdings N.V. (NYSE: NLSN) é uma empresa global de informações e mensuração com posições líderes em informações de mercado e de consumo, mensuração de audiência televisiva e de outros meios de comunicação, inteligência online, mensuração de plataformas móveis, feiras e setores relacionados. A Nielsen está presente em aproximadamente 100 países, com sedes em Nova York, EUA e Diemen, Holanda. Para maiores informações, por favor, acesse www.nielsen.com

Contato para imprensa

Versátil Comunicação Estratégica (www.versatilcomunicacao.com.br)
Mariana Vieira (mariana@versatilcomunicacao.com.br)
Sandra Takata (sandra@versatilcomunicacao.com.br)
Tel: (11) 2832-5505