Imprensa

Sul do país recupera fôlego e vendas no varejo crescem 7,2%

Média de crescimento de consumo no varejo é de 5,9%. Perfil do consumidor sulista é composto, principalmente, por donas de casa maduras que possuem nível sócio econômico alto

São Paulo, Brasil (outubro de 2014) – No próximo dia 7 (terça-feira), a Nielsen (www.br.nielsen.com), provedora global de informações e insights sobre o que o consumidor assiste e compra realizará evento no Sul para apresentar ao mercado os principais desafios para a indústria e varejo da região. O principal objetivo é discutir as possibilidades existentes para que os canais aproveitem as oportunidades de crescimento.   

Segundo levantamento da Nielsen, ao acompanhar o histórico da região é possível perceber que o perfil do consumidor sulista é composto, principalmente, por donas de casa maduras que possuem lares menores e nível sócio econômico alto. 

Nos últimos meses, o Sul apresentou uma recuperação do fôlego de consumo mais rápida do que o restante do país e recuperou com maior intensidade a queda do ano anterior. O consumo da região cresceu 7,2% enquanto que do Brasil cresceu 5,9%. Para a analista de mercado da Nielsen, Gabriela Maia, o cenário de incerteza econômica refletiu em queda da confiança do consumidor. “O sul é a 2ª maior economia do Brasil e abriga população mais atenta a educação financeira, o que reflete em um comportamento mais consciente”.

Esse consumo consciente impacta diretamente no resultado das cestas analisadas pela Nielsen. Mas, nenhuma categoria deixou de apresentar crescimento

Cash & Carry – Nesse cenário, os canais de pequeno varejo e de cashy & carry apresentaram destaques na região, com crescimento de 13,3% e 10,3%, respectivamente. Enquanto que a média no país foi de 9,5% para pequenos varejos e apenas 3,7% para C&C. “Esses canais se tornaram mais atrativo devido ao bom atendimento, conveniência, preços baixos e promoções”, afirma Gabriela.

Mesmo com esse cenário positivo, o interior apresenta maior oportunidade de crescimento para a indústria e o varejo. 75% das categorias analisadas pela Nielsen ganham distribuição no interior, enquanto que nos grandes centros apenas 25% atingem novas lojas. E, as promoções alavancam o consumo no interior. 

Enquanto isso, as capitais driblam o aumento de preços com a oferta de embalagens mais econômicas. E, 58% das categorias de trade up atingem mais lares em 2014 nas grandes cidades. No interior essa porcentagem não ultrapassa os 10%. “O shopper das capitais sulistas prioriza sofisticação, o que favorece o investimento em ‘premiunização’. 86% das categorias lançam produtos de maior valor agregado”, conclui Gabriela.

Sobre a Nielsen

Nielsen Holding N.V. (NYSE: NLSN) é uma empresa global de informação e pesquisa com posições de liderança nos mercados de marketing e informação do consumidor, televisão e mensuração do outros meios, inteligência online, pesquisa de celulares, feiras e propriedades relacionadas. A Nielsen está presente em aproximadamente 100 países, com sedes em Nova Iorque, EUA, e Diemen, Holanda. Para mais informações, por favor visite www.nielsen.com