Imprensa

Nielsen une forças com Instituto Liberta para otimizar campanha sobre o enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil

{“order”:4,”name”:”pubdate”,”attributes”:{“sling:resourceType”:”nielsenglobal/components/content/publishdate”},”children”:null}

Recentemente a Nielsen Consumer Neuroscience uniu forças com Instituto Liberta para uma importante missão: pré-testar e otimizar uma campanha publicitária para o enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil.

Intitulada ‘Números’, a campanha do Instituto Liberta, que contou com a participação de Xuxa Meneghel, tinha como objetivo expor por meio de dados reais essa difícil situação que o país enfrenta a fim de mobilizar a sociedade e gerar ação imediata, principalmente com as denúncias pelo telefone através do canal “Disque 100”. “O desafio da execução da campanha era comunicar um problema grave, mantendo o engajando das pessoas, sendo memorável e favorecendo uma atitude ativa de colaboração frente ao tema”, comenta Janaína Brizante, diretora de Neurociência da Nielsen.

Utilizando ferramentas e técnicas de neurociência, o estudo da Nielsen para a campanha contou com quase 30 participantes que tinham entre 21 a 54 anos, homens e mulheres, na mesma proporção, e de diferentes classes sociais. No laboratório de neurociência da Nielsen Consumer Neuroscience, o grupo foi submetido às tecnologias de eye-tracking (monitoramento do movimento ocular), FACS (identificação de expressões faciais) e EEG (eletroencefalografia), utilizando uma touca não-invasiva, que mede a atividade elétrica cerebral, com 32 sensores coletando dados 500 vezes por segundo, e capaz de capturar a atividade completa de todas as regiões cerebrais. Foram também realizadas perguntas declarativas, objetivando identificar elementos que geraram forte recall, e como as pessoas entenderam e verbalizaram a mensagem.

O conjunto de métricas proprietárias da Nielsen avaliadas por meio dessas tecnologias – engajamento emocional, ativação de memória, atenção e intenção de ação – permitiu saber exatamente como os participantes estavam percebendo a mensagem do vídeo da campanha.

Como diagnóstico geral, apesar do conteúdo exposto gerar alto esforço cognitivo (atenção), ele estava conseguindo aproximar o espectador da mensagem e ativar sua memória, gerando, assim, uma atitude favorável para ambos os gêneros. Entretanto, as ideias de conscientização e sensibilidade impactaram mais fortemente o público feminino. “Essa diferença significativa entre os atributos pode estar correlacionada ao protagonismo de crianças do sexo feminino no vídeo da campanha e à problemática abordada”, aponta Janaína.

Em relação ao desempenho cena-a-cena, o vídeo apresentou trechos extensos de boa efetividade, principalmente na apresentação de estatísticas, permitindo que as pessoas memorizassem os números e dessem maior relevância à causa. Na etapa de verbalização da mensagem, “ficou claro que as pessoas conseguiram, com recall espontâneo, contar o enredo da história, destacando os números e estatísticas que são o foco da mensagem”, destaca Julian Frenk, gerente comercial de Neurociência da Nielsen. Além disso, o momento do vídeo que convida o espectador a denunciar foi bastante positivo, com alto engajamento emocional.

Para potencializar a mensagem da campanha, algumas sugestões foram feitas pela Nielsen, como introduzir a narração mais cedo no copy, reduzir takes que não traziam personagens (como uma cena da placa de um caminhão), e manter a narração em perfeita sincronia com o texto apresentado na tela, principalmente na cena de apresentação do número 100 a ser discado para denúncia. “O vídeo é muito bom, e esses ajustes permitirão que alcance efetividade ainda maior. É muito gratificante para a Nielsen ter a oportunidade de contribuir para o sucesso de uma campanha que se volta ao cuidado com o segmento mais vulnerável da nossa sociedade – as crianças”, conclui Janaína.

Sobre a Nielsen – Nielsen Holdings plc (NYSE: NLSN) é uma empresa global de gestão de informação, que proporciona um entendimento completo sobre o que os consumidores assistem e compram (Watch & Buy). No segmento Watch, a Nielsen oferece aos clientes de mídia e publicidade serviços de medição de audiência (Total Audience) de qualquer dispositivo em que é possível ter acesso a conteúdos (vídeo, áudio, texto). O segmento Buy oferece aos fabricantes de bens de consumo e varejistas uma visão global única do desempenho da indústria. Ao integrar as informações dos segmentos de Watch e Buy com dados de outras fontes, a Nielsen apresenta aos seus clientes uma medição de primeiro nível, bem como análises avançadas que permitem o crescimento de seus negócios. A Nielsen, empresa conceituada na Standard & Poors 500, está presente em mais de 100 países, representando 90 por cento da população mundial. Para mais informações, visite www.nielsen.com.


Sobre o Instituto Liberta – Organização não governamental (ONG) idealizada pelo empresário e filantropo Elie Horn, fundador da Construtora Cyrela Brazil Realty, conhecido por doar 60% de seu patrimônio para causas sociais dentro do programa The Giving Pledge, fundado por Bill Gates e Warren Buffett. A ONG quer impulsionar a discussão e a conscientização sobre o tema da exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil, sensibilizando e unindo parceiros estratégicos para o sucesso da causa.

CONTATO IMPRENSA (www.nielsen.com): Angélica Vargas – Comunicação Externa Brasil
angelica.vargas@nielsen.com / (5511) 4613718