Ao usar este Site, autoriza o uso de cookies. Para mais informação, por favor consulte a nossa Política de Cookies. X

Male in grocery store with six-pack

3 Recomendações da Nielsen para um Black Friday bem-sucedido

BGC e Retalho | 19-11-2018

Quase metade das vendas de Bens de Grande Consumo em Portugal são feitas em promoção

Novembro 2018 - A Black Friday aproxima-se e marcas e retalhistas já estão a implementar as suas estratégias para conseguirem alcançar um aumento de vendas dos seus produtos e serviços. A Nielsen foi analisar o driver preço e como este é fundamental no processo de decisão de compra. O real impacto das promoções é também um tópico que não pode ficar esquecido quando se fala de iniciativas como a Black Friday. Preço e promoções são, sem dúvida, variáveis às quais os consumidores vão estar atentos nos próximos dias.

Quase metade (46%) das vendas de Bens de Grande Consumo em Portugal são feitas em promoção, sendo o investimento promocional do nosso país muito superior ao registado no resto do mundo. De acordo com o estudo ShopperTrends, da Nielsen, 42% dos consumidores portugueses admitem que, apesar de não mudarem de loja em função das promoções existentes, procuram adquirir produtos em promoção sempre que visitam uma loja. De facto, apenas 3% dos consumidores assumem que as promoções raramente influenciam a sua escolha de marcas. No entanto, estes números não significam que os portugueses são mais viciados em promoções do que os restantes povos europeus. “O shopper português não é nem mais nem menos adepto de promoções do que o dos outros países. Pelo contrário, limita-se apenas a tirar proveito de um contexto de oferta promocional que é cada vez mais intensiva no seu país”, explica Mafalda Silva Ferreira, Client Development Senior da Nielsen.

Mas será que os consumidores portugueses têm uma noção real dos preços?

De acordo com o estudo ShopperTrends, da Nielsen, os consumidores portugueses são, de todos os países europeus analisados, os que menos têm conhecimento dos preços dos produtos (48% face a 72% em Espanha). “Num contexto de atividade promocional tão forte, os portugueses acabaram por perder a noção do preço regular, reagindo especialmente ao preço riscado. Mesmo não sabendo o preço regular de cada produto, procuram as promoções e reparam nas alterações de preço”, diz Mafalda Silva Ferreira.

“É importante desviar o foco das guerras de preço”

“Mais do que fazer promoções, o mercado deve focar-se numa boa estratégia de preço. A definição do preço deve estar alinhada não só com a estratégia comercial de cada marca e retalhista, como também com a própria zona geográfica, com o produto ou serviço oferecido, com o valor acrescentado que este lhe pode trazer e com a oferta concorrencial. As promoções devem continuar a existir, mas de uma forma estratégica e que vise o incentivo à experimentação ou à compra de produtos premium, que tragam valor à categoria. É importante desviar o foco das guerras de preço e das promoções indiscriminadas, na medida em que os consumidores estão até dispostos a pagar mais por produtos que lhes tragam benefícios, tais como a qualidade ou o facto de serem considerados saudáveis, inovadores ou convenientes”, refere Mafalda Silva Ferreira.

A Nielsen providencia soluções, destinadas a retalhistas, que permitem efetuar análises e comparações exaustivas de preço, promoções e sortido para todos os produtos de Bens de Grande Consumo em todo o mercado. Este tipo de soluções constituem ferramentas essenciais para obter uma estratégia de preço coerente e alinhada com a concorrência, assim como estratégias promocionais ajustadas e eficientes.

A transparência de preços é chave

Perante um consumidor cada vez mais informado e exigente, é também cada vez mais importante uma política de transparência em relação ao preço. E este é um tópico bastante presente quando se fala de iniciativas como a Black Friday.

Com o desenvolvimento do canal digital, o shopper dispõe hoje de inúmeras ferramentas que lhe permitem comparar preços em tempo real. Segundo o estudo ShopperTrends, da Nielsen, para 54% dos portugueses a principal razão de visita aos sites de Hipers e Supers é a procura de ofertas especiais e promoções.

3 Recomendações da Nielsen para um Black Friday bem-sucedido

Em suma, as promoções em Portugal continuam a fazer sentido, e a serem bem aceites pelos consumidores. No entanto, tendo em conta o estudo aprofundado do comportamento do shopper e da oferta, é essencial ter em conta as seguintes recomendações:

  • Aproveitar o contexto positivo do consumo nacional para fazer promoções que incentivem a compra de produtos de maior valor ou de uma gama mais premium, promovendo a experimentação e a inovação;
  • Criar promoções únicas e diferenciadoras, que o distanciem da concorrência;
  • Praticar preços transparentes, que serão facilmente comparáveis.
     

O departamento Nielsen Retail Pricing Services, da Nielsen, é responsável pela análise e comparação de preços, promoções e sortido em loja, refletindo a perspetiva do consumidor. Através dos diversos serviços de que dispõe, fornece aos seus clientes ferramentas que lhes permitem desenvolver uma melhor estratégia in-store e monitorizar o seu posicionamento na respetiva àrea de influência através de ajustamentos no preço, comparação entre marcas e formatos de loja, definição de sortido e negociação com fornecedores, assim como a definição de estratégias de micro-marketing para otimização loja a loja.