Insights

Estilos de vida das gerações globais: quanto a idade influencia nosso comportamento?
Artigo

Estilos de vida das gerações globais: quanto a idade influencia nosso comportamento?

Muitos fatores influenciam a forma como vivemos nosso cotidiano, desde o salário que recebemos até os valores que assumimos. Nossa visão de vida é compartilhada com pessoas que têm características similares as nossas – e a idade não é uma exceção. No entanto, grande parte dos consumidores de hoje estão resistindo a noções preconcebidas de gerações anteriores.  Muitas pessoas mais velhas estão adotando um mundo mais orientado para a tecnologia, assim como um número considerável de pessoas mais jovens estão se voltando para valores mais tradicionais.

A pesquisa global da Nielsen – Estilo de Vida das Gerações entrevistou 30.000 pessoas online em 60 países para entender melhor como o sentimento dos consumidores globais difere de acordo com suas diferentes fases da vida. Os resultados quebram alguns mitos e reafirmam outros, sempre levando em consideração as diferenças culturais. Para os propósitos deste estudo, os entrevistados são segmentados em cinco classificações de estágio de vida: Geração Z (idade 15-20), Geração Y (21-34), Geração X (35-49), os Baby Boomers (50-64) e a Geração Silenciosa (65 anos ou mais). Os resultados revelam como os consumidores ao redor do mundo vivem, comem, jogam e economizam.

Neste primeiro artigo, de uma série de materiais sobre os achados do estudo, vamos nos concentrar no modo como os consumidores vivem –  quais são suas fontes preferidas de informação e quais os lugares ideais para se viver, de acordo com as aspirações que eles têm para o futuro.

TV AINDA É A FONTE PREFERIDA PARA OBTER NOTÍCIAS  – mesmo entre a Geração Y

Os entrevistados globais podem até utilizar uma combinação de fontes tradicionais e digitais para se manter informados, mas o interesse das diferentes gerações pelas fontes de notícias não é como você imagina. Provavelmente não é surpresa para ninguém que a maioria das pessoas com mais de 35 anos de idade recorre à TV para obter notícias, mas o meio também  é o preferido por quase metade dos entrevistados da Geração Y (48%) e da Geração Z (45%). Da mesma forma, a Geração Y prefere sites de busca, quando comparada as demais gerações. Na média geral de entrevistados globais, os buscadores estão entre as três principais fontes de notícias, mesmo entre aqueles com mais de 65 anos.

A utilização das fontes tradicionais para obter notícias é mais alta entre os entrevistados mais velhos, enquanto que as gerações mais novas são mais dependentes de fontes digitais. No entanto, os números não representam uma diferença tão grande entre as preferências pelo tradicional e digital e as gerações analisadas.

 VALORES TRADICIONAIS ESTÃO MUDANDO, MAS NÃO TANTO QUANTO VOCÊ IMAGINA

Quando se trata do lugar ideal para viver, cidade grande / locais urbanos têm uma grande atração sobre os entrevistados mais jovens. Mais da metade da Geração Z e da Geração Y (52% e 54%, respectivamente) querem viver em uma cidade grande ou bairro urbano. Mas nem todos jovens adultos estão se afastando dos bairros residenciais para morar em ambientes mais urbanos. Mais de um quarto dos entrevistados da Geração Y e Z acham que os bairros residenciais são o melhor lugar para se viver. Os entrevistados da Geração Silenciosa, por outro lado, preferem uma vida rural no campo.

Dizem que o dinheiro não pode comprar a felicidade, mas as gerações mais jovens estão dispostas a testar essa teoria. Mais de um terço dos entrevistados da Geração Z (37%) e  Y (36%) diz que ganhar dinheiro (37% e 36%, respectivamente)  e construir uma carreira de sucesso (31% e 28%) são suas prioridades.

E enquanto os índices de casamento e nascimento estão em declínio em muitos países ao redor do mundo, nem todos os entrevistados mais jovens são contrários a estas aspirações tradicionais. Comprar uma casa, casar e ter filhos permanecem como metas importantes para muitos. Cerca de um quinto dos entrevistados da Geração Z eY consideram a compra de uma casa (21% e 22%, respectivamente), e cerca de 10% (11% e 13%, respectivamente) consideram ter um bebê como suas três principais aspirações para o futuro. Os entrevistados da Geração Silenciosa, por outro lado, provavelmente já alcançaram muitos desses objetivos e mostram uma preferência maior para ficar em forma e saudável (71%), passando o tempo com suas famílias (50%) e viajando (36%).

Outras descobertas recentes do relatório incluem:

Os entrevistados mais velhos apresentam níveis mais elevados de distração com a tecnologia na hora das refeições do que as gerações mais jovens.

Enquanto a TV permanece como a principal forma de lazer entre os entrevistados de todas as idades, a leitura também é uma atividade favorita – mesmo entre os jovens das Gerações Z e Y.

Os respondentes mais jovens priorizaram a leitura no lugar dos jogos online ou acesso às mídias sociais. 

A Geração Y é cerca de duas vezes mais propensa a deixar seu trabalho atual após dois anos, quando comparada à Geração X.

Seis a cada 10 entrevistados da Geração Y dizem que comem fora pelo menos uma vez por semana, duas vezes mais que a porcentagem dos Baby Boomers pesquisados.

Cerca de metade dos entrevistados mais jovens diz que economiza dinheiro mensalmente, mas não estão confiantes em relação aos seus futuros financeiros.

Quer ler mais sobre as diferenças entres as gerações? Acesse: Report: Estudo Global – Estilo de Vida das Gerações