02_Elements/Icons/ArrowLeft Voltar para o Insight
Insights > Digital e tecnologia

O que vem a seguir para os consumidores conectados da China - Um roteiro para impulsionar a demanda digital

Leitura de 5 minutos | Janeiro 2018

A Internet mudou fundamentalmente os hábitos de consumo chineses. A revolução digital está preparada para acelerar e os dispositivos conectados são um fator central de compra na China. Novas inovações transformarão ainda mais os comportamentos dos compradores e oferecerão novas rotas para que as marcas alcancem e engajem seus públicos-alvo. Mas os marqueteiros devem repensar sua abordagem se quiserem conquistar uma nova onda de consumidores conectados digitalmente. A Nielsen estabelece um plano de três pontos para o sucesso. 

A empresa líder mundial em informação e medição Nielsen lançou um white paper, What's Next for China's Connected Consumers - A Roadmap for Driving Digital Demand, que revela como os dispositivos conectados e as plataformas digitais levaram a um boom de consumo na China. Mostra que 84% dos consumidores usaram seu telefone celular para fazer compras em 2017 - contra 71% em 2015. Em linha com esta tendência, as vendas on-line cresceram 28% em 2017, enquanto a proporção de consumidores que fazem compras em sites no exterior aumentou de 34% em 2015 para 64% em 2017.

A revolução digital da China também está impulsionando a demanda dos consumidores por novos produtos e serviços habilitados para a tecnologia. A Nielsen revela que 54% dos consumidores de Tier One agora investem em produtos financeiros online. Outros 38% dizem que irão aumentar seus gastos com essas soluções nos próximos 12 meses.

Ao mesmo tempo, o relatório da Nielsen revela que os consumidores conectados hoje estão mais abertos à publicidade digital do que nunca. A pesquisa Nielsen mostra que entre 2016 e 2017, a confiança na publicidade móvel aumentou de 20% para 23%. A confiança na publicidade em PC também aumentou de 18% para 24% durante o mesmo período. 

Os consumidores também estão cada vez mais receptivos às mensagens de marca que recebem em seus dispositivos conectados. A pesquisa da Nielsen mostra que 38% dos consumidores observam conscientemente os anúncios que vêem em seus celulares. Outros 30% observam conscientemente os anúncios que vêem em seu PC.

 "Nos últimos anos, os consumidores chineses mostraram um apetite insaciável para integrar a tecnologia digital em suas vidas. Dispositivos conectados, mídias sociais, comércio eletrônico, pagamentos on-line e publicidade digital estão agora firmemente tecidos no tecido da sociedade. Olhando para o futuro, o ecossistema digital da China só se expandirá, com inovações emergentes como robótica, realidade virtual e aprendizagem de máquinas criando mais uma perturbação nos hábitos e comportamentos dos consumidores", disse Vishal Bali, diretor administrativo da Nielsen China.

A revolução digital da China vai acelerar, perturbando ainda mais os hábitos de consumo.

Novas inovações digitais começaram a surgir que irão transformar ainda mais o consumo na China. O que vem a seguir para os consumidores conectados da China mostra como as tendências digitais existentes se intensificarão à medida que mais lares rurais entrarem online nos próximos 10 anos. Ao mesmo tempo, o aprendizado de máquinas, robótica, realidade virtual e aumentada, pagamentos sem atritos e grandes dados e análises estão prontos para adoção em massa. Estes desenvolvimentos causarão mais perturbações nos hábitos e comportamentos dos consumidores.

O livro branco da Nielsen mostra um futuro onde a robótica, os zangões e os veículos autônomos diminuirão os prazos de entrega e desbloquearão novos mercados consumidores, permitindo que as marcas cresçam mais rápido do que nunca. Enquanto isso, a VR criará novas rotas de engajamento, ajudando os marqueteiros a fazer conexões mais profundas e mais duradouras.

"À medida que a economia digital da China se acelera, os comerciantes enfrentam uma miríade de opções para envolver os consumidores. Mas, à medida que o público se fragmenta e o caminho para a compra explode, os retornos digitais se tornarão ainda mais difíceis de serem alcançados. Os proprietários de marcas precisarão de uma nova abordagem se quiserem engajar a crescente onda de consumidores conectados da China. A medição e a otimização em tempo real se tornaram uma nova força no marketing para os consumidores chineses", explicou Bali.

Vencer na China conectada: um plano de três pontos para o sucesso  

Enquanto a revolução digital da China oferece aos proprietários de marcas oportunidades significativas, ela também cria desafios significativos. Colaborando com a JD.com e analisando dados reais de compras dos consumidores em uma categoria específica de homecare, a Nielsen descobriu que os consumidores agora enfrentam com frequência mais de 10.000 possíveis caminhos online para comprar.

O relatório da Nielsen estabelece um plano de três pontos para o sucesso em um mundo omnichannel. Ele mostra que, analisando com mais precisão, visando através de plataformas e otimizando em tempo real, as marcas serão capazes de alcançar as pessoas certas, no lugar certo, com a mensagem certa. A medição se tornou fundamental para alcançar um verdadeiro ROI digital. 

O que se segue para os Consumidores Conectados da China mostra que a demografia tem uma grande influência sobre a publicidade e as preferências da mídia. O relatório mostra que 65% das impressões de publicidade digital vistas pelas mulheres estão em celulares. Por outro lado, 62% das impressões de publicidade digital vistas por homens estão no PC.  

Ao mesmo tempo, Nielsen revela que as mulheres de 25 a 29 anos, com renda baixa a média, e sem filhos, preferem dramas históricos. Mas as mulheres de 25 a 34 anos, com alta renda, e sem filhos, preferem reality shows. Os comerciantes precisam entender estas diferenças se quiserem conscientizar com sucesso seu público alvo e impulsionar as vendas.

O Livro Branco também mostra que os lares chineses têm uma média de quatro dispositivos habilitados para internet. Para chegar aos consumidores no lugar certo, os marqueteiros precisam de ferramentas para avaliar a eficácia do canal e otimizar entre plataformas e dispositivos. Por exemplo, quando um proprietário de marca investiu apenas em publicidade de PC ou smartphone, as vendas aumentaram em 0,6% e 5,5% respectivamente. Mas, quando se dirigia a ambos os dispositivos, as vendas aumentaram em 7,1%.

Da mesma forma, os proprietários das marcas têm apenas alguns segundos para engajar os compradores de hoje. A pesquisa da Nielsen mostra que 52% dos consumidores preferem publicidade que funcione por menos de 15 segundos. Em comparação, apenas 11% preferem anúncios que sejam de 30 segundos ou mais. Para chegar aos consumidores com a mensagem certa, as marcas precisam entender como os consumidores reagem e se envolvem com o conteúdo em tempo real.

 "Em um cenário de digitalização na China, os consumidores estão se tornando cada vez mais confortáveis com a publicidade digital. Bem executada, ela pode ajudar a elevar o conhecimento da marca e as vendas. Mas muitos proprietários de marcas não estão aproveitando as soluções corretas de medição para avaliar quais investimentos proporcionam o melhor ROI e quais são desperdiçados. Sem isso, a atividade de comunicação permanecerá ad hoc e os proprietários de marcas não conseguirão realizar todo o potencial da revolução digital da China", concluiu Bali.

Continue navegando por ideias semelhantes

Nossos produtos podem ajudar você e sua empresa

  • Visão do consumidor e da mídia

    Acesse pesquisas de consumidores sindicalizadas e personalizadas que o ajudarão a moldar marcas, publicidade e marketing bem-sucedidos...

  • NCSolutions

    Maximize a eficácia da publicidade de CPG com dados para melhor segmentar, otimizar e permitir resultados baseados em vendas.